sábado, 23 de abril de 2011

FRASE ABOBRINHA DO DIA



"Na terrinha tudo pode acontecer, inclusive nada."

Anonymous do Viver

CONTA GOTAS

1 - Você viajou de avião em 2010 ? Pobreza. No ano passado transitaram 13.281 cães e gatos pelos três principais aeroportos do Brasil: Guarulhos, Galeão e JK (Brasília). Desses, 9.357 em São Paulo, 3.469 no Rio de Janeiro e 455 na capital federal. (deu no Estado)

2 - Em entrevista ao "O Sul de Minas", o presidente do PT local disse que seis nomes do partido foram citados internamente como possíveis candidatos a prefeito nas próximas eleições: Ele, Prof Paulino, Laudelino, Paulo Salomon, Célia Rennó, Rafael e o Dep.Ulisses. Nunca antes na história da terrinha, um partido teve tantos pré-candidatos.

3 -  Tem gente no Brasil que não está dormindo - O Instituto Internacional de Estudos Estratégicos, da Inglaterra, IISS, publicará em 10 de maio próximo os documentos encontrados no computador de Raul Reyes, o porta-voz da narcoguerrilha, morto em ataque das forças colombianas, realizado na fronteira com o Equador. Os milhares de documentos, que mostram, principalmente, os esforços de Hugo Chávez para financiar e vender armas à guerrilha, informou o IISS em sua página na internet.(deu no Coronel) 

4 - Extremo bom gosto - E é claro, poder de fogo. A conceituada e exclusiva revista "Mar Azul" informou que 8 dos 10 mais bonitos, bem localizados e decorados apartamentos de Ubatuba, pertencem a itajubenses. Todos de cobertura, duplex e triplex, de frente para a África. Beleza.

5 - Por que não proibir também o voto ? - César Maia, ex-prefeito e atual DEM, apresenta, na Folha, três propostas para a reforma política: proibição de pesquisas, proibição de debates e proibição de cabos eleitorais. Segundo ele, na última semana antes das eleições, o eleitor deveria ficar em período de reflexão, sem receber influências externas.( talvez num retiro espiritual).

ER  









É DISCO QUE EU GOSTO



BECAUSE

Interpretada por Elliott Smith.  Foi composta por Lennon/McCartney e faz parte do álbum Abbey Road, de 1969.

"John estava relaxando no sofá de sua casa enquanto Yoko tocava no piano de cauda o primeiro movimento da Sonata para piano nº 14 em dó sustenido menor (sonata ao luar), de Beethoven. John perguntou se ela podia tocar os mesmos acordes em ordem inversa. Ela o fez, e isso serviu de inspiração para "Because".
A semelhança entre a abertura da "Sonata ao Luar" e "Because" é impressionante, mas um ouvido mais treinado percebe que se trata de uma cópia direta, não da inversão das notas como John sugeriu.
A ideia de um Beatle tomar algo emprestado de Beethoven era levemente irônica porque o senso comum da época dizia que o rock´n´roll era a antítese da música clássica e que ninguém poderia apreciar os dois gêneros genuinamente. É provável que o fato de os Beatles terem gravado "Roll Over Beethoven", de Chuck Berry, um conselho irreverente para que os compositores clássicos abrissem caminho para o rock´n´roll, também não tenha ajudado.
Uma das primeiras perguntas que sempre faziam aos Beatles nos EUA era " o que vocês acham de Beethoven?". A resposta vinha de Ringo: "eu adoro. Especialemente os poemas". Ma foi John, em especial, que passou a considerar Beethoven o compositor supremo, com quem tinha afinidade. Em 1969, ele não estava mais tentando se equiparar a Elvis ou aos Rollings Stones, mas a Picasso, Van Gogh, Dylan Thomas e Beethoven.

The Beatles - Steve Tuner

Maravilha !

ER 

MALHANDO O JUDAS

Ouvido ontem nas proximidades da Igreja São José:

- Ô cumpadre, fazia tempo que eu não via isso. Fui comer um pastel de bacalhau lá no Coró e deparei com o pessoal ali das proximidades, montando um "judas" no maior capricho.

- Uai, quem será homenageado ?

- Não perguntei porque não conhecia ninguém, mas me impressionou o bigodão do bicho.

ER

LIVRO, PRESENTE DE AMIGO

EM BUSCA DO BOROGODÓ PERDIDO

Joaquim Ferreira dos Santos - Edit Objetiva

Havia lido em dez/2005. Reli relaxadamente ontem. Dá para ler num sorriso só. Muito interessante. Joaquim conta muitos casos, do seu modo muito leve.

História contada no livro:

...vamos encontrar o lamentável marechal Costa e Silva visitando as instalações do Jornal do Brasil na Av. Rio Branco. A ciceroneá-lo a muy digna proprietária do estabelecimento, a Condessa Pereira Carneiro.
Ao se aproximar do fim do tour, ela informa ao presidente que no dia seguinte o JB noticiaria a visita em suas páginas.
O segundo chefe da ditadura militar, com a elegância que caracterizava a classe, quis saber mais:

 "vai ter elogio ?"

A condessa, constrangida com a cara-de-pau do cara, informou-lhe, com jeitinho, que, hum, bem, não haveria. Seria feita uma reportagem sem comentários, objetiva, como é da boa norma jornalística, da passagem do presidente pela casa.
O Marechal foi lhe sincero:

 "Desse jeito não precisa não, condessa. Eu gosto mesmo é de elogio."

Joaquim Ferreira dos Santos


FRASE DO DIA


"Fale com calma, fale devagar e não diga muita coisa."

John Wayne

BEM LEMBRADO

Deu no Jornal O Sul de Minas desta semana. Mais precisamente no "Holofote", escrita pelo Santiago:

Como conseguiram ?

Pergunta que nao quer calar.

Como a administração 2005/2008 (BPS) conseguiu a proeza de realizar uma obra tão mal feita no calçamento do acesso ao Centro Administrativo e até a Estrada de Maria de Fé ? E olha que o prefeito entendia de obras. Fez sua vida neste ramo. O Secretário de Obras era um engenheiro civil. É de revoltar o mais manso dos humanos. gastou-se muito dinheiro para nada.

Blog: Muito bem lembrado pelo Santiago.
A obra mencionada foi a de duração mais efêmera na história da terrinha. Deveria ficar conhecida como o "caminho de isopor". Só perde para o tempo de vida de carros alegóricos de Escola de Samba.
Literalmente dissolveu-se em 90 dias.
Foi uma obra executada a "toque de caixa" no final da administração BPS.
São peculiaridades da política local. Estivesse ainda o ex-prefeito BPS nas lides políticas, e estaríamos assistindo cpi´s e ong´s em ação.
Como o Sr. Benedito se afastou e o seu partido (DEM) praticamente sumiu, até esqueceram que o atual prefeito fazia parte da administração anterior.
Quando irão reconstruí-la ?
Segundo informações, quando o projeto do Parque Tecnológico estiver pronto. Por que ? o estilo tem que ser harmonioso.
O que a  Câmara Municipal diz sobre o assunto ? Aí já é querer demais.

ER



AVANÇOS NO PRÉ - ALZHEIMER

O mal de Alzheimer poderá ser detectado muito antes do surgimento dos primeiros sinais de demência. Novos estudos reconhecem que o processo de desenvolvimento da doença começa antes de haver qualquer sintoma, embora ainda não existam testes bons o suficiente para constatar se uma pessoas está neste estágio.
O Instituto Nacional Sobre Envelhecimento e Associação do Alzheimer, nos EUA, dividiram a doença em três estágios:

Doença pré-clínica
Prejuízo cognitivo suave
Demência

Doença pré-clínica - Você não precisa ter comprometimento da memória para ter demência do tipo Alzheimer. Se você tem problemas de fazer planos, se adaptar a mudanças no seu ambiente, ou lapsos que comprometem o seu envolvimento social com outras pessoas, você pode ter o mal de Alzheimer, mesmo que sua memória não seja ruim.
Estima-se que 1,2 milhão de brasileiros sofram com a doença.

Site WebMD (Globo)

ER



O FRACASSO É IMPORTANTE


O fracasso é importante, segundo a Economist:

“O sucesso e o fracasso não são opostos polares: muitas vezes é preciso enfrentar o segundo para alcançar o primeiro. O fracasso pode, de fato, ser um professor melhor que o sucesso. Também pode ser um sinal de criatividade. A melhor maneira de evitar um fracasso de curto prazo é continuar oferecendo os mesmos velhos produtos, apesar de que, no longo prazo, isso pode significar o seu fim. As empresas não podem inventar o futuro – seu próprio futuro – sem arriscar.”
O preconceito contra o fracasso precisa ser vencido: “Na Alemanha, uma falência pode acabar com sua carreira de executivo, enquanto que, no Vale do Silício, é quase uma medalha de honra”. James McNerney, ex-presidente mundial da 3M, prejudicou a inovação da empresa ao aplicar princípios six-sigma, criados para evitar erros na linha de produção, aos laboratórios de pesquisa.
Mas existem tipos diferentes de fracasso. Uma coisa (que pode ter um lado positivo) é fazer um lançamento sem alcançar o sucesso esperado, outra (definitivamente negativa) é fabricar produtos defeituosos. Como explicou a revista, o fracasso precisa ser administrado. As empresas precisam aprender a fracassar pequeno e a fracassar rápido.
Uma empresa que sabe fazer bem isso é o Google. Alguém pode até argumentar que poucos têm os bolsos tão cheios quanto os deles, mas o Google é uma companhia que não tem medo de arriscar, e de cancelar um produto que prometia ser revolucionário poucos meses depois do seu lançamento, como o Buzz ou o Wave, quando o resultado fica aquém do esperado.

Economist - (ER)

JÁ VOLTOU