domingo, 20 de março de 2011

PRÁ NÃO FALAR QUE NÃO FALEI

Ontem tivemos uma noite de luar como há tempos não víamos. Foi  o que nos levou a dar uma caminhada pela outrora segura e aprazível Boa Vista.
Atraídos pela publicidade fomos até a Estação (nos recusamos a tratar a área pelo ridículo nome de sambódromo), para conhecer o espetáculo, "Minas ao Luar".
Muita gente, de meia idade prá frente, aguardando os primeiros acordes musicais, enquanto ao longe, um grupo de políticos, adeptos, religiosos e autoridades em geral dircursavam sobre alguma coisa.
O burburinho geral, a distância e a qualidade do som ( e também uma pitada de indiferença), não permitiu saber sobre o que falavam.
Consegui acompanhar, mais ou menos, o último orador de camisa ou terno branco, que misturou longamente, sob alguns tímidos apupos, uma pregação religiosa com política ou vice-versa.
No lugar de habituais aplausos, a discurseira se encerrou com a banda de música sapecando um dobrado.  
Bom, às 23:00 horas deu largada o Show musical.
Vou parar por aqui.
Ouvi duas tentativas musicais e voltei para a Felipe Pizzuto sob o verdadeiro e unico luar de Minas.
Valeu por ter visto e cumprimentado pessoas queridas durante o trajeto.

ER    

REVISTADOS FORA DE HORA

Os americanos são obsecados por segurança. A dos presidentes e família nem se fale. Quem de nós já não passou por constragimentos nos aeroportos daquele país ?
Eles tem certa dose de razão. Nas vezes que bobearam, a casa caiu.
Ontem em Brasília, passaram um pouco dos limites ao aplicarem, na entrada de uma cerimônia que contaria com a presença do presidente Obama, severa revista nos Ministros da Dilma.
Imagino a cena: Pimentel, Lobão, Bernardo, Mercadante, etc. com os braços encostados no muro, pernas bem abertas e submetidos a uma apalpação geral.
Perdão amigos brasileiros, mas no fundo acabei sentindo um inexplicável prazer pela cena imaginada.
Comentou no blog um anônimo gozador, que os americanos só erraram sobre o momento da "revista". Ela deveria ser executada na saída.
O pior estava por vir. Os discursos dos americanos foram em inglês e sem tradução simultânea.
Aí ferrou de vez.
Poucos entendem além de "money", I love You" e Help.
A chiação foi geral. Apalpados e sem entender nadica de nada.
Parece que conseguiram apreender com o Suplicy, dois exemplares do seu livreto sobre "renda mínima', que ele insistia em entregar, devidamente autografado, em mãos, ao Presidente americano.

ER 

ANONYMOUS NA JANELA

Deve ser legal mesmo se ater a inaugurações, festas, foguetórios, motocross, exposição e artistas com dinheiro público para a alegria dos que gostam de ver seu dinheiro indo pro ralo além do ingresso que eles pagam, asfalto depois de pronto sendo refeito por incapacidade e falta de responsabilidade profissional, correria para deixar o bolão e adjacências devidamente maquiadas e outros tantos muros etc... a população se distrai e distraída não percebe que nos faltam com apoio as areas que mais precisamos que é criar e estimular projetos e novos itajubenses a serem humanos compromissados em criar uma geração segura e que respeite e crie ou mantenha os hábitos e costumes de outrora. Ainda existe animo para comemorar algo no dia mais feliz para um Itajubense com a cidade e seus municipes sendo tratados desta forma ?

Ass: Pagador de Impostos em dia.

GAMOU DE VEZ !

Deu na Folha

Convidado por Dilma Rousseff na condição de ex-presidente para o almoço oferecido ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, Fernando Henrique Cardoso elogiou a postura da presidente e chamou o gesto de "gentileza".
"A presidente Dilma foi extremadamente gentil comigo", disse o tucano, oposicionista ao governo federal.
"Achei uma coisa de gentileza, senão eu não teria vindo. É um gesto. Eu acho que, em matéria de Estado, quando está se representando o país, como é o caso aqui, não cabe divisões político-partidárias. Eu acho que a presidente Dilma demonstrou que tem uma compreensão correta dessa matéria."
Segundo o ex-presidente, na relação política, "não é necessário tratar o outro como se um fosse Deus e o outro o demônio".
FHC defendeu o tom adotado por Dilma ao cobrar publicamente de Obama o apoio ao assento permanente no Conselho de Segurança da ONU e à derrubada de barreiras comerciais impostas pelos Estados Unidos.
Segundo ele, em relação entre Estados, o tom correto foi o adotado por Dilma.
"O discurso de interesse do Brasil tem que ser duro, tem que dizer as verdades como são. É normal. É uma relação de Estados, não é uma relação entre pessoas. Não tem que ter amabilidade como tem as pessoas. Tem que colocar com clareza quais são os interesses", disse.

Folha



REDUÇÃO NAS DESPESAS

Estou cada vez mais convencido de que o governo Dilma tem trazido para o País, mais beneficios que o governo anterior. Hoje tivemos (pelas fotografias) uma prova cabal disso.
O governou não necessitou gastar com interpretes inglês-português-inglês, durante os encontros Dilma e Obama.
Nada daquele bem pago coxixador de pé-de-ouvido, que acompanhava o Lula.
Nada nada, mas já significa uma sensível redução nos gastos públicos.
A não ser, que esteja correndo solto, um "This is my book. My book is yellow."

(em tempo, o zelador não sabe inglês e talvez, nem o português)

ER

NÃO TOMEM COMO DESFEITA

Ouvido hoje na feira do Ceasa:

- Ô cumpadre, que desfeita o Obama fez para os paulistas. Chegou tão perto e nem deu uma passadinha por São Paulo.

- Uai, por acaso era aniversário de São Paulo ? Se fosse tudo bem. Cumprimentaria os paulistas pelos anos de vida  e agradeceria pelos votos que depositaram nos "Democratas" na última eleição americana.

ER

CADÊ MEU LONG PLAY ?

Do jornalista Aleluia, Hildeberto (Cláudio Humberto)

"...Um dos programas de maior audiência da TV americana, o da atriz Oprah Winfrey considerada a rainha da mídia, atinge apenas seis milhões de americanos. Num passado recente, no seu auge, o apresentador Walter Cronkite falava todas as noites, na TV aberta, para mais de 40 milhões de americanos. Poucos anos depois foi substituído por Larry King que falava para 20 milhões de telespectadores, americanos. Isso não mais existe nos dias de hoje. Nem lá, nem cá. O YouTube está aí mesmo para tirar o sono da TV.
Assim como ninguém imaginou que um dia os LPs (Long Plays) fossem destronados. Na década de oitenta, precisamente no ano de 1981, ele teve seu auge com 1,1 bilhão de unidades vendidas. Em 1988 o mercado de Fitas Cassetes crescia a uma média de 13 por cento ao ano e em 1989 atingia o auge 1,5 bilhão de unidades comercializadas. Lá pelos idos da década de 1980 surgia também o CD (Compact Disc) e no ano de 2000 ele alcançaria o recorde de vendas com a marca de 2,45 bilhões de unidades vendidas. Em seguida veio o MP3 Player e roubou-lhe o reinado. Nesse meio esteve o Walkman que teve vida curta e ninguém mais lembra. Hoje, noventa e cinco por cento da música que circula no mundo é distribuída de graça ou é capturada ilegalmente. Todos esses dados, da própria indústria fonográfica, estão compilados num relatório chamado E-Books: The Next Killer Application?, de autoria do executivo Sampo Timonen, diretor da divisão de papéis gráficos para a Europa, da empresa RISI. A morte do CD e do DVD já está selada. Falta apenas o funeral que será confirmado na hora em que o usuário descobrir os aplicativos tais como o Blu-ray. Serão sepultados sem honras pelos novos aplicativos. E se isso não basta para anunciar a chegada dos novos tempos, considere que o Google umas das maiores empresas do mundo com valor de mercado de centenas de bilhões de dólares ganha seu dinheiro com o grátis e lhe oferece quase tudo que existe na rede, inclusive a COMPUTAÇÃO EM NUVEM. O Blu-ray, entre outros, copia e armazena em quantidades gigantescas e downloads grátis, colocando tudo que você deseja na NUVEM, a pasta de armazenamento que fica no ar e você pode acessar de onde quiser. Hoje já não existe a possibilidade de você ficar sem a agenda pessoal em caso de perda do celular. Basta que acesse sua conta do Gmail, vá a contatos e descarregue toda a sua agenda e os dados que desejar. Toda vez em que você acessar a conta, automaticamente, se o celular estiver ligado, ela será atualizada na hora. Sem nenhum esforço seus dados estarão a salvo. Se assim não desejar pode-se ir direto ao site Dropbox e criar, gratuitamente, uma conta na NUVEM para armazenar o que você desejar. Em um único item pode-se baixar toda a sua discoteca de centenas de CDs e de DVDs. Poderão ser condensados num único pen drive, ou mesmo num email ou disquete, para serem carregados no bolso, ou baixados, para serem acessados com apenas um toque. E onde fica a NUVEM? Pode estar logo ali ou há milhares ou milhões de quilômetros de distância. Estará no centro de processamento de dados do servidor escolhido que tanto pode ser na sua cidade, quanto no Oregon - Estados Unidos (onde estão vários do Google) ou na Índia. Eles também são chamados de fábricas de informações e se espalham pelo mundo como uma teia de uma aranha gigantesca."

Aleluia, Hildeberto (jornalista)

Blog: Parem o bonde. Eu quero descer!

ER



PRATELEIRA DE SUPERMERCADO ?

Deu no ex-blog do César Maia (via Brickmann).

1. Em 1989, um grupo de deputados e senadores brasileiros foi convidado a visitar as Usinas Nucleares da Alemanha, da Siemens. Pôde-se conhecer todo o sistema de segurança, desde a entrada, com identificação um a um, fora da usina, foto local, encontro em uma sala reservada, oferecimento de informações, e uniformização fechada e rigorosa antirradiação. No final, a entrega dos uniformes para incineração.

2. Depois, foi feita uma visita ao local de depósito de resíduos nucleares. A corte suprema alemã não havia ainda aceito como definitiva, mas autorizou provisoriamente. É uma antiga mina de sal. O grupo - por partes - desceu a mina num elevador por 800 metros de profundidade, altura do Corcovado-Rio.

3. As caixas de chumbo lacradas são colocadas no meio do sal. Esse se fecha em torno das caixas como pedras, obstruindo qualquer risco de contato com o ar. E assim mesmo a corte suprema de lá não considera um processo 100% seguro.

4. Uma vez de volta, foram visitar as Usinas Nucleares de Angra dos Reis-RJ. O acesso a elas foi direto, sem cuidados de identificação especial. Na mesma sala de recepção foram dadas informações e se vestiu o uniforme antirradiação. Foi feita a visita.

5. Mas o susto maior veio quando foi pedido para se conhecer a área de depósito de resíduos nucleares. São caixas de chumbo como na Alemanha, mas depositadas em prateleiras de um galpão como num supermercado. Este galpão fica a 200 metros do prédio da Usina e pode ser vista da Usina, diretamente.

6. No mínimo, caberia ao Congresso Nacional constituir, urgente, uma comissão especial e visitar esse depósito, ou outro local de depósito das caixas de chumbo dos resíduos nucleares.

7. A imprensa informou, no dia 16, que um tufão se aproximou do litoral do Rio. Se esse tufão atingisse a área da Usina, derrubaria, com um sopro, o armazém e espalharia as caixas, inclusive para o fundo do mar. Essa é uma situação extremamente grave que exige fiscalização e resposta, imediatas, por parte do Congresso. Lembre-se que são duas Usinas e mais uma em construção. E que o contrato de 1977 foi simplesmente prorrogado, portanto, com as mesmas condições estabelecidas na época.

César Maia



THE DAY AFTER

Conversa imaginária acontecida no dia 20 de março de 1819, numa colina situada às margens do Sapucaí.

Esposa: Ô Lourenço, que churrascão animado o de ontem. O povo ficou até altas horas em volta da fogueira, tomando cachaça e beliscando carne. A maioria só voltou para as barracas no Porto Velho, agora de manhã.

Padre: Festa é assim mesmo mulher. O povo, de vez enquando, precisa de uma distração.

Esposa: Ô Lourenço, ainda não tive tempo para comentar. Bonito o seu palavreado durante a missa. Mas que história foi aquela de "primeira missa da Vila".

Padre: Sinceramente não sei o que me deu na cabeça na hora. Voltar para Soledade de Itajubá, não dá mais. Prá desce o rio todos os santos ajudam, mas prá subir...

Esposa: Mas não seria muita responsabilidade criar uma Vila, vamos dizer assim, começando do zero ?

Padre: Olha minha filha, vejo muito futuro neste pedaço de chão. Vai crescer, vai gerar muita riqueza, muito estudo e bem estar para o povo.

Esposa: Você sempre foi um sonhador Lourenço. Não pensa nunca nos problemas que podem acontecer.

Padre: Mulher, vamos tocar a vida prá frente. Problemas, problemas, só irão aparecer daqui uns 190 anos.

José Tipica 


PADRE DA PÁ VIRADA

Padre Bianchi ? do interior de São Paulo ? será possível ?

É apenas mais um processo: o padre Aparecido Donizeti Bianchi, 51 anos, foi denunciado pelo Ministério Público de São José do Rio Preto, SP, por injúria racial. Uma enfermeira negra o acusa de tê-la insultado por sua cor.
Mas não é apenas mais um processo: Aparecido Donizeti Bianchi já foi condenado por embriaguez ao volante e indiciado em três inquéritos por infrações de trânsito, como dirigir embriagado, atropelar duas pessoas e fugir sem prestar socorro. Parte de seu prontuário: flagrado sem carteira de habilitação (que havia sido apreendida quando dos atropelamentos) ao dirigir em ziguezague por uma estrada. Segundo disse, tinha rezado três missas antes de guiar e tomado vinho em todas elas. Foi detido na contramão de uma rua para pedestres, bêbado. Fez gestos obscenos para os policiais e dançou a música do É o Tchan. Foi preso e condenado a dois anos de prisão, convertidos em multa.
O importante: por que reclamar do que ele faz, se é deixado em liberdade?

Brickmann


PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

ESQUEÇAM O QUE FALAMOS !

FRASE DO DIA

“Escrever não é tão difícil. É só começar com uma letra maiúscula e terminar com um ponto final. No meio, você coloca idéias.”

Pablo Neruda