quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

CONVERSA FIADA



A Câmara Federal está reunida hoje para discutir o valor do novo salário mínimo. A presidente e sua equipe propõe 545,00. A brava oposição saiu em defesa do povo. Exige mais 15.00 mirréis, ou seja, a bolada de R$ 560,00.
Quarenta oradores estão escritos para o ferrenho debate. Somado o custo dessa tropa em R$/hora, quase daria para pagar a diferença.
O que estariam pensando neste  momento épico, o Romário e o Tiririca. Que responsabilidade!
Irão discutir muito e acertar tudo por uns R$ 555,00. "Dez real" já estará de bom tamanho, segundo os ex-sindicalistas do PT, que atualmente cuidam do País. 

ER 

BOBOS ALEGRES



Deu no blog do Coronel,

O fato foi lembrado hoje na coluna do Merval Pereira, em O Globo. Também saiu no Blog Leite de Pato. A foto é de maio de 2000, durante a votação do salário mínimo. Naquela oportunidade, o aumento dado por Fernando Henrique Cardoso foi de 19,2%. Eles acharam pouco. Fizeram troça. Hoje Dilma está oferecendo 6,9%. Eles acham muito. Porque fizeram oposição barulhenta, coerente e partidária, eles chegaram ao poder. Os personagens dispensam maiores apresentações. Eles chegaram lá. Estão lá. Dificilmente, com a oposição desmemoriada do Brasil, vão sair de lá.

Blog: Você reconhece alguém na foto ? Estão todos lá.

ER

AINDA EXISTE CHANCE - 2

Olá blogueiro ,

Obrigado por seu apoio na luta contra o crack e outras drogas. O consumo aumentou e é preciso a união de todos.
O crack traz malefícios ao usuário, família e sociedade e atinge a todos independentemente do sexo, cor e classe social.
Divulgue mais informações sobre a droga: http://bit.ly/bDGqGz.
Conheça os CAPS que estão espalhados em vários lugares do país para prestar auxílio aos dependentes:
Siga-nos no Twitter: www.twitter.com/minsaude
Mais informações: comunicacao@saude.gov.br
Obrigado,

Ministério da Saúde

SÓ BLUES



DUST MY BROOM

Elmore Brooks, simplesmente Elmore James. Guitarrista, cantor e compositor americano de blues. Nasceu em 1918 e tomou o barco em 1963.
Estilo único no relacionamento com a guitarra. Voz comovente.
"Dust My Broom" foi gravada por Elmore em 1951. Existem controvérsias se a música seria de Robert Johnson ou de Elmore James.
Isso é o de menos.

ER 

MARIA DA FÉ ? AZEITE

Mabeth1 escreveu:

MARIA DA FÉ...

É mineiro o primeiro azeite de oliva puro do Brasil. Na cidade é possível ver atualmente algumas colinas cobertas com fileiras da árvore, das quais já se produz o azeite. Os resultados da cultura atraiu investidores, que iniciaram plantações na região e lançaram o produto no mercado. Vieira, um dos primeiros investidores, considera que a produção de azeite é a opção tecnicamente mais fácil e rentável, pois a utilização da azeitona para conserva exige tratos culturais mais intensivos para obter frutos sem defeitos e com aparência atrativa para o consumidor. "São necessárias mais pulverizações e variedades adequadas, além de ter o domínio das técnicas de conserva". A azeitona in natura, além de amarga, é muito dura e seu processamento para azeite é imediato, devendo o fruto estar no ponto ideal de maturação, diferentemente da conserva, que chega a 90 dias, se for feita em salmoura, de forma mais natural.
Esse tempo pode ser reduzido para 24 horas, se o processo for feito com hidróxido de sódio, exigindo uma agroindústria e pessoal treinado. O maior produtor de azeitonas de Maria da Fé é o empresário Joaquim de Oliveira, que plantou na Fazenda Retiro, adquirida para essa finalidade, 50 mil pés de oliveira e tem outras 25 mil em Delfim Moreira. Não bastasse seu sobrenome, ele conhece o assunto.
Nasceu em Portugal, país de grande tradição na produção de azeite, e trabalha com a importação desses produtos. Proprietário da empresa Oli Ma, segunda principal distribuidora de azeites no Brasil, em Itaquaquecetuba (SP), Oliveira investiu R$ 5 milhões na compra de terras, plantio de mudas e na instalação de uma fábrica para extrair azeite. As primeiras mudas foram compradas da Epamig, mas agora ele tem seu próprio viveiro, onde produz suas mudas e vende o excedente. "Em 2008 vendemos 31 mil mudas e já temos mais 40 mil prontas para a venda", diz Oliveira.
No fim de 2009, o empresário deve receber uma máquina encomendada na Itália, pois no Brasil ainda não existe maquinário para extração de azeite, e, na próxima safra, espera colher 70 toneladas de azeitonas, que poderão produzir 15 toneladas de azeite. "Fomos plantando por fase, por isso, ano a ano, a produção deve aumentar", afirma o produtor. As oliveiras foram introduzidas no sul de Minas na década de 50 por um imigrante português. Só de uma década para cá o material começou a ser melhorado em Maria da Fé e deu origem à variedade de mesmo nome. "  Eu já provei e aprovei!

Mabeth 1

TUDO ERRADO

Errado o vereador Avelino, ao tratar diretamente com o Prefeito sobre as reivindicações salariais dos funcionários municipais. Primeiro porque o sindicato tem diretoria própria, legalmente eleita. Segundo, porque o vereador Avelino também é funcionário público (inclusive foi presidente do mesmo sindicato). Ele, ao meu ver, estaria inclusive impedido de se manifestar como vereador nesse assunto.
Mais errado ainda está o prefeito em não receber o sindicato para negociação. É obrigação dele.
Estão se especializando em erros. 

ER

FRASE DO DIA

Alguns comportamentos estão ficando claros

"É melhor calar-se e deixar que as pessoas pensem que você é um idiota do quer falar e acabar com a dúvida."
Abraham Lincoln

FILHOS DO MUNDO

Enviado por Anônimo - Do Saramago

Devemos criar os filhos para o mundo. Torná-los autônomos, libertos, até de nossas ordens. A partir de certa idade, só valem conselhos. Especialistas ensinaram-nos a acreditar que só esta postura torna adulto aquele bebê que um dia levamos na barriga. E a maioria de nós pais acredita e tenta fazer isso. O que não nos impede de sofrer quando fazem escolhas diferentes daquelas que gostaríamos ou quando eles próprios sofrem pelas escolhas que recomendamos. Então, filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isto mesmo! Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente da incerteza de estar agindo corretamente e do medo de perder algo tão amado. Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo! Então, de quem são nossos filhos? Eu acredito que são de Deus, mas com respeito aos ateus digamos que são deles próprios, donos de suas vidas,porém, um tempo precisaram ser dependentes dos pais para crescerem, biológica, sociológica, psicológica e emocionalmente. E o meu sentimento, a minha dedicação, o meu investimento? Não deveriam retornar em sorrisos, orgulho, netos e amparo na velhice? Pensar assim é entender os filhos como nossos e eles, não se esqueçam, são do mundo! Volto para casa ao fim do plantão, início de férias, mais tempo para os fllhos, olho meus pequenos pimpolhos e penso como seria bom se não fossem apenas empréstimo! Mas é. Eles são do mundo. O problema é que meu coração já é deles. Santo anjo do Senhor... É a mais concreta realidade. Só resta a nós, mães e pais, rezar e aproveitar todos os momentos possíveis ao lado das nossas 'crias', que mesmo sendo 'emprestadas' são a maior parte de nós !!! "A vida é breve, mas cabe nela muito mais do que somos capazes de viver "

José Saramago (enviado por Anônimo)

A FORÇA DO FRIO E DAS BATATAS

Gosto muito de Maria da Fé. Cidade privilegiada e onde tenho grandes amigos.
Durante algum tempo pensei que o nosso Centro Administrativo tinha sido construído em área pertencente ao município vizinho. Em linha reta, creio, a Prefeitura estaria exatamente no meio do caminho, entre a nossa Igreja Matriz e a Matriz Mariense.
Mas não vem ao caso. Ficou já ficou provado que a prefeitura de Itajubá está em Itajubá. Isso basta. Embora seja mais fácil ir de Maria da Fé para lá.
A curiosidade é outra: A influência de Maria da Fé na nossa administração municipal. 
São inúmeros os secretários e diretores marienses atuando em Itajubá. Capacidade não lhes falta.
Comenta-se agora a possível saída do meu amigo Nilton (mariense) da Defesa Civil. Fala-se na possível vinda do competente Dr. Antonio Dias (mariense) para ocupar uma nova secretaria a ser criada .
Seria pré-requisito para ocupar importantes cargos em Itajubá, ter o passaporte vermelho de Maria da Fé ?
Ah, o Cesário, a Nilda, e o Canha também são lá.
Ô pessoal influente, sô...
(Foto obtida por um Mariense)

ER 

TEM CARNE MOÍDA EMBAIXO DO ANGU

Divulgado o balanço do Banco Panamericano (ex - do Silvio Santos). Segundo o balanço as irregularidades (tucanaram o rombo) somam R$ 4,3 bilhões.
Sinto muito fãs do Silvio. Não acredito nesta história. A Caixa Econômica Federal é sócia e não sabia de nada ?
O Fundo Garantidor de Crédito apareceu para "salvar a pátria", liberando todos os bens alienados do homem do Baú ?

Enquanto isso nos EUA, o NYT publica hoje uma entrevista do ex-banqueiro e mega-fraudador, Madoff - julgado, condenado de imediato por 150 anos e preso (como deveria ser no Brasil) -  disse que os outros bancos, clientes e todo o sistema deviam ter conhecimento da fraude praticada pela sua instituição.

Na verdade, todo mundo do meio sabe tudo. O Sarney não retirou as suas aplicações do Banco Santos na véspera da intervenção federal ?
Não sabemos de nada, nós, simples mocorongas.

ER

AINDA EXISTE CHANCE

Como corretamente, um anônimo, chamou nossa atenção ontem. Visto de fora o problema é fácil de resolver:

Leia um resumo da reportagem da Karina Toledo - Estadão

Pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) acompanharam por 12 anos 107 dependentes de crack. Após esse período, 40% haviam parado de consumir a droga, 25% estavam mortos, 12% presos e 20% continuavam dependentes. Entre os que ainda faziam uso frequente, mais da metade estava empregada. Do total, 29% estavam abstinentes havia pelo menos cinco anos.
Os 107 pesquisados passaram por cerca de três semanas de internação no Hospital Geral de Taipas entre 1992 e 1994. Depois da alta, foram submetidos a três avaliações: após 2, 5 e 12 anos. Ao longo desse tempo, verificou-se uma diminuição no ritmo de mortalidade, o que, segundo a principal autora do estudo, a psicóloga Andrea Costa Dias, revela que os usuários se adaptaram ao contexto de violência do crack e desenvolveram estratégias para minimizar o risco associado ao consumo da droga.
"As mortes por crack são principalmente causadas pela violência. Nossa hipótese é que os usuários foram aprendendo a lidar com a polícia, com os traficantes e desenvolveram estratégias para evitar a overdose e conseguir manter um uso controlado", afirma.
Segundo a autora, não foi possível identificar os fatores determinantes para a recuperação dos dependentes. Mas verificou-se que a interrupção no uso estava associada à busca por outros tratamentos após a internação no Hospital Geral de Taipas, ao aumento na empregabilidade e a atividades religiosas.
"Existe uma pressão na sociedade para que os problemas com drogas sejam combatidos como se fossem uma epidemia de dengue ou de febre amarela. Mas, na verdade, é uma doença crônica", afirma . É preciso tempo e serviços de saúde bem preparados para motivar os usuários a abandonar o vício. "Não dá para fazer tratamento à força."
Para o cientista social Luiz Flavio Sapori, autor do livro Crack: um desafio social, o dado mais relevante é o alto índice de mortalidade no grupo. "Mais de 30% dos usuários ou morreram assassinados ou foram presos. É um índice muito maior que o de qualquer outra droga e absolutamente preocupante", diz.
Sapori coordenou um estudo na região metropolitana de Belo Horizonte (MG) e constatou que após a entrada do crack na cidade a porcentagem de homicídios relacionados ao tráfico de drogas saltou de 8% para 33%. "Esta pesquisa, como a minha, mostra que o comércio de crack está muito relacionado à violência urbana. E a maior vítima é o próprio usuário."
Saúde Pública. Após os 12 anos, 43% dos usuários relataram ter sido presos ao menos uma vez. Em média, o tempo de reclusão foi de 1 ano e 8 meses. "Eles passaram mais tempo presos do que em tratamento. Isso nos faz questionar a política repressiva aos usuários da droga. Essa questão deveria ser tratada como problema de saúde pública", diz Andréa.

DEPOIMENTO

Esmeralda Ortiz, jornalista, cantora e autora do livro 'Esmeralda, por que não dancei'. Abstinente há 13 anos.
Os companheiros é que me salvam.
"Só larguei o crack porque desejei muito. Tive o apoio de ONGs, como a Projeto Quixote e a Travessia. Essas pessoas entendiam que o vício é uma doença. Passei a seguir os 12 passos do Narcóticos Anônimos, que frequento até hoje. Aprendi que minha vida está sob minha responsabilidade. Por causa da música e da escrita, comecei a ter perspectiva. Tive uma recaída em 1997. Foi quando toda essa rede de apoio me internou em uma clínica, onde fiquei por um mês. Saí fortalecida. Mas, se sinto que posso recair, ligo para meus companheiros e eles me salvam. É uma luta diária."

Karina Toledo


PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Dalí

MÚMIAS ESTÃO SÓ NOS MUSEUS

Se pudesse mudar o nome do blog, mudaria para Anonymous House. As mudanças que precisam ser feitas serão feitas pelos anônimos. A web é o caminho para as futuras mobilizações.
ER

Escreveu ontem o Augusto Nunes:

"Que fazer?, vivem perguntando nos sites e blogs da internet os incontáveis brasileiros indignados com a procissão de escândalos, afrontas e patifarias ─ todos aflitos com a impotência aparente. Se os partidos de oposição não se opõem, se não existe nenhuma organização capaz de aglutiná-los, se faltam líderes dispostos a conduzir a multidão de inconformados, como impedir que o Brasil fique cada vez mais parecido com um imenso clube dos cafajestes?
As interrogações foram desfeitas neste fim de semana. Mirem-se no exemplo dos egípcios, devem dizer uns aos outros os que testemunharam a agonia e a queda da ditadura de Hosni Mubarak. Não há como adivinhar o epílogo do drama ainda em curso, e a construção de uma democracia genuína pode ser mais difícil que o afastamento de um tirano. Seja qual for o desfecho, nada poderá revogar as lições contidas no luminoso primeiro ato, encerrado com o despejo de Mubarak.
Uma delas, velha como o mundo, ensina que a surdez dos donos do poder só pode ser superada pela voz rouca das ruas. Quem quer mudar as coisas precisa sair de casa, reiteraram os manifestantes da Praça Tahrir. Quem quer mudar as coisas sem se afastar da sala deve contentar-se em mudar o canal de TV com disparos do controle remoto. Mas a rebelião popular no Egito também ensinou que é possível fazer pela internet o que os políticos e os partidos não podem ou não querem fazer.
A mobilização de milhões de oposicionistas prescindiu de líderes carismáticos. Em seu lugar, agiram os ativistas da web. As manifestações não foram articuladas por organizações políticas, mas por correntes que se multiplicaram nas redes sociais. A exaustão dos mais velhos, a impaciência dos jovens egípcios e os impulsos libertários comuns fizeram o resto. Mubarak e seus comparsas acordaram tarde. Quando tentaram controlar o inimigo eletrônico, a multidão já estava nas ruas e nas praças do país..."
Augusto Nunes