segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

SOB A LUZ DE VELAS

Como dizia o poeta
Quem já passou por essa vida e não viveu
Pode ser mais, mas sabe menos do que eu
Porque a vida só se dá pra quem se deu
Pra quem amou, pra quem chorou, pra quem sofreu
Ah, quem nunca curtiu uma paixão nunca vai ter nada, não
Não há mal pior do que a descrença
Mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão
Abre os teus braços, meu irmão, deixa cair
Pra que somar se a gente pode dividir
Eu francamente já não quero nem saber
De quem não vai porque tem medo de sofrer
Ai de quem não rasga o coração, esse não vai ter perdão
Quem nunca curtiu uma paixão, nunca vai ter nada, não

Vinícius de Moraes

PT (SDB) DE MINAS

Deu no Estadão, por Eduardo Kattah:

"O governo de Minas irá criar mais 1.314 cargos comissionados até 2014. A decisão consta do decreto de lei delegada 182 assinada pelo governador Antonio Anastasia (PSDB) e publicado no último sábado no Minas Gerais, diário oficial do Estado. Os novos cargos representam um aumento de 28,85% no número de postos comissionados de chefia, direção e assessoramento já existentes. Do total de cargos comissionados (17,5 mil), o porcentual representa um acréscimo de 7,4%. "

Blog: Dá-lhe Alaor ! Um conhecido tucano local está cotado para assumir um cargo, mas já disse: o salário todo vai ser doado a entidades beneficentes, à moda  Alvaro Dias.

ER

EM SÃO PAULO

Chegamos em São Paulo no início de 74. Morar no Bixiga era tranquilo e sair caminhando pelo centro da cidade a noite não trazia nenhum perigo.
É aí que entra o Paribar, que ficava na Pça Dom José Gaspar, logo atrás da Biblioteca Municipal. Funcionou no local de 1949 até 1983. Foi reinaugurado em maio do ano passado.
Cadeiras de vime na varanda coberta por toldo verde e branco. Quem não lembra?
Foi ponto de encontro dos itajubenses nos finais de tarde das quarta-feiras (antes da ida ao Pacaembu, torcer para os times do interior contra o Corintians). 
Nas quintas, cinema no Metrópole e jantinha no Paribar.
O tradicional "Filet á meninão", é um chateaubriand com molho madeira e arroz com açafrão. Não dá prá não pedir.
Ah... o preço ? R$ 39,00 .

ER

CIÊNCIA SEM TECNOLOGIA

Herton Escobar escreveu no Estadão.

Uma boa ideia de nada vale se não for colocada em prática.

"O Brasil está muito bem servido de bons cientistas. Formou milhares e milhares de mestres e doutores. Aumentou significativamente seu número de publicações científicas. Mas ainda não conseguiu dar o último passo, mais difícil, de transformar toda essa massa de conhecimento em riqueza para o país. Em benefício para as pessoas.
Eu já defendi a pesquisa básica várias vezes aqui no blog. E não me canso nunca de escrever sobre ela. Mas é claro que, em última instância, queremos também (precisamos!) que a ciência traga benefícios práticos para a nossa vida. Essa é a diferença entre ciência e tecnologia: ciência é aquilo que você sabe, tecnologia é aquilo que você usa.
O Brasil vai bem em ciência, mas vai mal em tecnologia. E uma das razões é a boa e velha burocracia nacional."

Blog: Aí está um assunto que se for discutido em Itajubá, tirando o pessoal da Unifei, não deverá proporcionar um longo debate. 

ER 

PAGANDO PARA VER

A oposição dos tucanos mineiros de alta plumagem não deverá ser contra o governo petista do planalto. Os inimigos estão no momento concentrados no planalto paulista. A luta para dominar o PSDB será duríssima, dentro do estilo mineiro. Comendo pelas beiradas.
Na linha de frente, quer dizer, mais ou menos na linha de frente (mineiro não aprecia muito esse negócio de linha de frente) estarão o Narcio Rodrigues, que se disfarçará de Secretário Estadual de Ciência e Tecnologia. Encastelado no Palácio da  Liberdade, se posicionará o governador Antonio Anastasia, que na semana passada compareceu ao "beija mão" da Senhora Rousseff. Ao seu lado, continuará o fiel escudeiro  e grande conhecedor de Itajubá, Danilo de Castro.
Em âmbito do tucanato federal, estará o Rodrigo de Castro.
Aécio continuará no Rio, quer dizer, em Brasília, evitando com habilidade, todas as divididas possíveis. Só vai na certa.
Dentro dos planos para para 2014, é fundamental uma administração excepcional em Minas e para isso será necessário manter abertos, com fluxo constante, os cofres do planalto.
Se até as próximas eleições municipais o grupo mineiro não tomar as rédeas do PSDB, podem contar com a debandada geral para uma nova árvore.
Quanto ao Brasil ? Que espere.  

ER

PHOTOGRAPHIA NA PAREDE

Richard Avedon

FRASE ABOBRINHA DO DIA

"Eu também não sou um homem livre. Mas  poucos estiveram tão perto.

Millor

TAMANHO DA CRIANÇA

Enviado pelo Carlos Eduardo Costa Chaves.

BRIGA DE CACHORRO GRANDE


Deu no Estadão: Órgãos do governo mais disputados (pelo PT e PMDB), desviaram R$1,3 bilhão

VISÃO DO MÉDICO

Dr. Miguel Srougi - (enviado pelo Pierre)

SOFRIMENTOS E PRIVILÉGIOS 

 Eu me envolvo muito com meus pacientes. Sofro muito. E esse sofrimento é um dos fatores do sucesso da minha carreira, de 35 anos. Nesse sofrimento eu acabo me entregando mais e mais aos doentes. Isso é ruim, porque não tenho vida pessoal, minha vida familiar é feita nos intervalos. Felizmente, os momentos bons prevalecem sobre os ruins. É por isso que eu sobrevivo. Um doente que coloca a cabeça no meu ombro e agradece por ter feito algo por ele, ou deixa correr uma lágrima na minha frente, me faz deletar, superar aqueles momentos em que me senti totalmente impotente. Uma das coisas importantes é o médico saber e demonstrar que a medicina não é infalível e ele não se sentir onipotente. O urologista tem um privilégio. O oncologista mexe com câncer avançado, já no fim do caminho - eu lido com o inicial. Eu consigo salvar muita gente. É um privilégio para mim.

 MEDO DA SEPARAÇÃO 

Nós não queremos morrer. Primeiro, pela incerteza do porvir. Segundo, porque a morte implica extinção e o ser humano não aceita a aniquilação. A nossa cabeça nasceu para ser imortal. A morte está relacionada com dor, sofrimento, à decadência física, à desfiguração, à perda do papel social, desamparo da família, perdas dos prazeres materiais, da independência. Mas a causa verdadeira é o nosso horror de nos separar das pessoas que amamos. Bem material não deixa ninguém feliz. Há tanta gente rica se suicidando, tomando droga para sair da realidade. Os médicos não compreendem isso. Se as pessoas têm medo de se afastar das pessoas do seu entorno, você precisa tratar o entorno também. Não é o médico que apóia o doente nas fases difíceis - é a família. Eles reagem raivosamente contra a família, querem afastá-la do processo, sem perceber que um doente só vai ter paz, tendo a morte pela frente ou não, se a família estiver ao lado.

 A SAÍDA DO SÍRIO-LIBANÊS

Os verdadeiros templos na Terra são os hospitais - não as igrejas. Nas igrejas tem muito ouro, riqueza. Aqui não, você conhece o sofrimento, o valor da existência humana. Os orgulhosos e os soberbos ficam humildes, ricos e pobres são iguais; os ruins, os autoritários e os maldosos se tornam condescendentes: eles ficam despidos, tiram a máscara; é aqui que você conhece o que é viver, que resgata para a vida, não em uma igreja qualquer, que o sujeito entra lá, reza dez minutos e sai. Ele pode até sarar, cicatrizar a sua alma. Mas aqui nós curamos a alma e o corpo. Esse é o verdadeiro templo, onde o ouro é a vida. Você entende o impacto que a desigualdade social tem sobre o ser humano, a pobreza, a falta de instrução causa doenças. Depois de 30 anos no Sirio-Libanês eu mudei para o Oswaldo Cruz. Achar que eu vou ter novas salas, três enfermeiras a mais, é brutalizar o que passou pela minha cabeça. Mudei porque não estava vendo esse lugar como um templo.
Eu vivo intensamente, por isso tenho esses sentimentos. 

UM POUCO DE FILOSOFIA 

 A melhor forma de se transmitir as virtudes é pelo exemplo, pela coerência. Certa vez perguntaram para Sócrates como a virtude poderia ser transmitida - se pelas palavras ou conquistada pela prática. Ele não soube responder. Então, Aristóteles, depois de uns anos, respondeu: "A virtude só pode ser transmitida pela prática e por meio do exemplo". Aqui, eu posso tentar ser o exemplo. Mudando o cotidiano das pessoas, transformando a sociedade e construindo um novo mundo.

Miguel Srougi

PAGARIA PARA ASSISTIR

Deu nos jornais que a partir de março o Sr. Luís Inácio dará inicio a uma série de palestras pelo Brasil e mundo.
Segundo informações, seria para reforçar o caixa. Preço: R$ 200 mil/cada, com tudo pago - jatinho, hotel, refeições, etc.
Normalmente uma palestra dada por ex-presidentes tem a duração de 45 a 60 minutos. É regra terem começo, meio e fim e serem apresentadas em Power Point (páuer o quê?).
Nunca antes neste país, qualquer ser vivo assistiu o ex-presidente falar sobre determinado assunto por mais de cinco ou dez minutos seguidos.
Comícios não valem. Seria uma plantação de abobrinhas.
Terá que ler alguma coisa escrita por alguém e logicamente não aguentará se não der uma boa improvisada. Aí começa o perigo. Vai sobrar 'prás zelite'.
Imagino que lembrará muito os filmes franceses. Começam e terminam sem ninguém entender nada.
Como no cinema, algum auxiliar levantará no palco uma placa escrito "Fim". Palmas e pronto.
Como será novidade, toda a platéia vai querer tirar uma foto com o homem. Possibilidade de ganho extra para os fotógrafos lambe-lambe.  

Vamos aguardar.

ER

ONDE VAMOS PARAR ?


Não costumo me entusiasmar com artefatos eletrônicos. Sempre sou o último a ter as novidades.
Fiquei feliz quando, no início dos anos 60, meu pai comprou um rádio transistorizado Sharp.
Fui acompanhando meio de longe os avanços.
Telefone celular para mim é para fazer e receber ligações. Só.
Ontem fui apresentado a um iPad. 
PQP. Não existe! Foi o aparelho mais fascinante que tive em mãos.
Como declarou o Virgílio na década de 50 ao  manusear uma calculadora elétrica de mesa:
- Ô lôco! Onde vamos parar!?
ER

FRASE DO DIA

O dom da fala foi concedido aos homens não para que eles enganassem uns aos outros, mas sim para que expressassem seus pensamentos uns aos outros.

Santo Agostinho